segunda-feira, 2 de maio de 2011

Sem propaganda, Mary Kay investe em planos de carreira.


Muitas pessoas me perguntam porque não se vê propaganda da Mary Kay na TV ou em revistas, etc. Por isso, estou reproduzindo aqui a entrevista do nosso Gerente Geral para o Brasil, Álvaro Polanco.
Temos também uma política de não divulgar preços dos produtos para não estimular a concorrência desleal. Uma vez que os produtos do catálogo são sugeridos, cada Consultora pode vender pelo valor que quiser. Considerando que temos até 40% de desconto na compra direta, podemos oferecer descontos nos produtos. A empresa tem regras rígidas quanto a divulgação da marca na internet, pois coloca o foco das vendas no corpo a corpo. 
Vou dizer a vcs que estou em Mary Kay há 2 anos quase. Sou blogueira, adoro estar conectada, mas de fato, não se faz Mary Kay assim. Como blogueira, informo sobre o produto e muitas vezes prefiro pegar a opinião de outras pessoas (blogueiras que não revendem MK), para dar mais autenticidade aos depoimentos e não parecer tendenciosa. Eu amo fazer Mary Kay porque confio na marca e uso quase todos os produtos. Sou consumidora antes de ser revendedora. Nesse tempo que estou na empresa, percebi (relutante até viu?) que o que faz toda a diferença é realmente o contato real (não virtual) com a cliente. A internet é apenas uma ferramenta que ajuda, mas que não é o fundamento do nosso trabalho. Estar em contato, colocar o produto no rosto da cliente, desenvolver uma relação de confiança, faz toda a diferença. Nós não vendemos produtos, nós damos Consultoria. Esse é o diferencial e quem não entendeu isso, não vai se dar bem neste trabalho. Nossa finalidade é "melhorar a vida das pessoas", "enriquecer a vida das mulheres"(esse é o slogam da empresa). Não é vender por vender. Existe algo de mais nobre que só quem conhece a história da fundadora da Companhia entende, pois está relacionada com as razões que a levaram a ter a idéia de criar a empresa. Bom, mas fiquem com a entrevista para entenderem um pouco mais sobre isso e quem quiser mais informações, estou a disposição. Bjks

Contrariando a estratégia das principais concorrentes no setor de vendas diretas de cosméticos, a Mary Kay não investe em propaganda.
Segundo Polanco, a construção da base de clientes é fundamental para o sucesso da consultora na empresa
A companhia americana, que está há 13 anos no Brasil, aposta em um modelo de negócios diferenciado, com foco no desenvolvimento de um plano de carreira para suas consultoras.
"A Mary Kay não faz propaganda como as outras empresas do setor de cosmético. O investimento é na carreira, para as consultoras crescerem na empresa", afirma Alvaro Polanco, diretor-geral da Mary Kay no Brasil.
Quanto mais clientes as consultoras concentram, elas ganham a oportunidade de formar a própria equipe com novas consultoras e conquistar o cargo de diretora. "A chave é desenvolver clientes", enfatiza Polanco.
A empresa, que começou 2010 com cerca de 43,5 mil consultoras, espera encerrar 2011 com 100 mil vendedoras. Quanto às diretoras, o número dobrou em 2010, passando de 700 para 1.400.
"As diretoras capacitam, coordenam e ensinam as consultoras como fazer negócios", aponta o executivo. Uma diretora nacional pode chegar a receber R$ 70 mil por mês.
A força de vendas da empresa, principal destino dos investimentos, é estimulada por programas de incentivo, que incluem materiais educacionais, bonificações, joias, viagens internacionais e até o direito de uso de um carro cor de rosa, considerado ícone da marca no mundo inteiro.
Para conquistar os prêmios, as consultoras tem que atingir determinado balanço de vendas, além de atrair certo volume de pessoas para o negócio.
Segundo Polanco, no ano passado foram investidos aproximadamente R$ 45 milhões no país, sendo a maior parte direcionada ao bônus pago às diretoras - consultoras que alcançam altos níveis de vendas. Para 2011, a previsão de investimentos está entre R$ 70 e R$ 75 milhões.
Negócios
Mesmo com a existência de um catálogo, as vendas se consolidam mesmo com as reuniões para exposição dos produtos, que são majoritariamente importados.
Menos de 10% dos produtos são fabricados no Brasil, mas há planos para nacionalizar a produção apesar do custo maior. A companhia prevê que 40% dos produtos serão feitos no Brasil até o final de 2011, com aumento gradual em 2012 e 2013.
Sem fábrica própria, a produção se dá por meio de parceiros. Em São Paulo, a parceria acontece com a alemã Weckerle.
Quando questionado sobre as concorrentes, Polanco afirma que os preços da Mary Kay são similares ao da Natura.
"Mas a Mary Kay oferece desconto maior que as concorrentes para suas consultoras, de 30% a 40%. O percentual de ganho da consultora distingue a Mary Kay das outras, além de oferecer oportunidade de carreira", destaca. "Como não fazemos propaganda, economizamos e conseguimos dar mais desconto e oferecer plano de carreira", completa.
Na posição de quarto maior mercado da empresa, o faturamento das operações brasileiras atingiu aproximadamente R$ 250 milhões em 2010.
"O crescimento econômico do Brasil e aumento do poder aquisitivo da população são favoráveis à empresa", considera Polanco.
Por Micheli Rueda   (mrueda@brasileconomico.com.br) 
29/04/11 09:10

12 comentários:

July Dias disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
July Dias disse...

Eba.. to dentro!

beijo

www.dicasemaquiagens.com

July Dias disse...

Nossa.. Adorei Mahaila!
Eu adoro batom vermelho, mas pra mim usar de dia ainda falta um pouquinho de coragem..heheh

beijo

www.dicasemaquiagens.com

Khenberly disse...

a mary kay é muito boa de se trabalhar
bjuss

Simone disse...

Que legal!!!

Beijos.

Hestia disse...

Muito boa essa entrevista com entrevista com o Gerente Geral, Álvaro Polanco.

Hestia disse...

Khenberly disse...

a mary kay é muito boa de se trabalhar

vc tbm revende?

jenniferas1 disse...

Eu sou consultora desde março e estou amando trabalhar com a Mary Kay,pois não sou apenas uma revendedora, sou consultora de beleza econsuidora antes de tudo.
Também recebi a entrevista e amei. bjs.

Khenberly disse...

hestia sim revendia parei por ser muito caro e não atingir o publico desejado
outro motivo é a prguiça aiai

Mahaila Mary Kay disse...

Khenberly, já não é a primeira vez q vejo este comentário da tua parte. Vc acha Mary Kay caro? Em comparação a quê? Gente, Mary Kay por ser importado e pela qualidade, é razo de barato! Equipara ao preço da Natura. Acho que a preguiça ainda é o motivo verdadeiro, hein? Pq público desejado tb não é o caso, né? Hehehe! Que pena Khenberly, que vc parou. As vezes não é nosso momento, né? Bju querida.

Khenberly disse...

mahaila:o meu ppublico consome avon e natura elas acham o valor carissimo
que no emu caso não acho
comparado a qualidade
mas fazer oque né

Luuh disse...

Eu nunk vi propaganda da Mary kay msm so coheço a marca por uma colega my vendia

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...